terça-feira, 16 de outubro de 2018

Notícias

Notas Gerais

Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta…

… segunda-feira, 14, mostra que 49,9% dos entrevistados acreditam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não conseguirá disputar as eleições presidenciais deste ano. Esse porcentual é maior do que o dos que acreditam que, mesmo preso e inelegível, o petista conseguirá participar do pleito de outubro (40,8%). O levantamento foi realizado ente os dias 9 e 12 de maio. Lula foi preso em 7 de abril em São Paulo, de onde foi transferido para a carceragem da Polícia Federal em Curitiba. Segundo a pesquisa, a maioria dos entrevistados (51%) considerou a prisão do ex-presidente como “justa”, enquanto 38,6% consideraram a detenção do ex-presidente como injusta.

O ex-ministro da Fazenda Antônio…

… Palocci entrou com novo pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) na tentativa de ser solto, após mais de dois anos preso no Paraná em decorrência da Operação Lava Jato. Palocci foi preso em 26 de setembro de 2016, permanecendo na cadeia por força de uma decisão do juiz Sergio Moro, que entendeu haver risco de que ele continuasse a cometer crimes. No novo pedido ao STF, a defesa afirma que considerar que Palocci continuará a delinquir é “mera suposição e, neste sentido, absolutamente insuficiente a autorizar a manutenção da sua prisão preventiva”.

A procuradora federal Adriana…

… Scordamaglia apresentou um novo pedido de prisão preventiva contra Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), conhecido como Paulo Preto. Ele foi preso pela Polícia Federal em abril deste ano por desvios em obras do Rodoanel em São Paulo. O ex-diretor atuou em gestões do PSDB no governo paulista. No entanto, na sexta-feira (12), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes concedeu um habeas corpus e Paulo Preto foi solto. A procuradora decidiu pedir nova prisão para Paulo Preto porque ele não compareceu hoje a uma audiência do processo que seria realizada na 5ª Vara Federal Criminal em São Paulo.

O presidente Michel Temer sancionou…

…uma lei de combate ao bullying nas escolas. O texto sancionado hoje altera um trecho da Lei 9.394, de 1996. A atualização na lei inclui a responsabilidade das escolas em promover medidas de combate ao bullying, além de pensar em ações de promoção da cultura de paz. A lei sancionada amplia as obrigações das escolas previstas na lei que criou o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying), sancionada em 2015 pela então presidente Dilma Rousseff. Esta lei, que entrou em vigor em 2015, prevê que, além de clubes e agremiações recreativas, as escolas desenvolvam medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying.

Um estudo com base nos indicadores…

… do seguro obrigatório de automóveis DPVAT, divulgado pela Escola Nacional de Seguros, revela que os acidentes graves ocorridos no trânsito brasileiro em 2017 provocaram impacto econômico de R$ 199 bilhões, ou o correspondente a 3,04% do Produto Interno Bruto (PIB, a soma dos bens e serviços produzidos no país). O valor equivale ao que seria gerado pelo trabalho das vítimas, caso os acidentes não tivessem ocorrido. De acordo com o estudo, os acidentes no trânsito mataram 41,1 mil pessoas no ano passado em todo o país e deixaram com invalidez permanente, que as afasta da atividade econômica que exerciam, outras 42,3 mil.

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara…

… Federal da Curitiba, condenou Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, por corrupção passiva, bem como o e ex-presidente da empresa OAS, José Aldemário Pinheiro, conhecido como Léo Pinheiro, por corrupção ativa. O processo é referente à 31ª fase da Lava Jato, denominada Operação Abismo. Segundo a denúncia, um consórcio integrado pela OAS e outras empreiteiras pagou R$ 39 milhões em propina, entre 2007 e 2012, para fraudar e superfaturar a licitação de construção do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello), da Petrobras.

A balança comercial brasileira…

… registrou superávit de US$ 3,1 bilhões nas duas primeiras semanas de maio. Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o saldo é resultado da diferença entre exportações totais no valor de US$ 8,8 bilhões e importações de US$ 5,7 bilhões. No acumulado do ano até agora, as exportações somam US$ 83,4 bilhões e as importações, US$ 59,9 bilhões, com saldo positivo de US$ 23,4 bilhões. Nesse mesmo período de 2017, o saldo era de US$ 24,3 bilhões. Nas previsões mais recentes, analistas de mercado ouvidos pelo Banco Central estimam que a balança comercial em 2018 deve fechar com saldo positivo entre US$ 50 bilhões e US$ 52 bilhões.

Compartilhe: