terça-feira, 20 de agosto de 2019

Notícias

Nível das águas encosta na ponte do Rio Grande e preocupação é redobrada por autoridades na divisa

No último sábado, dia 8, os pescadores registraram em imagens o nível que se encontra à água, em Colômbia, próximo a Ponte Gumercindo Penteado. De acordo com a superintendente do Meio Ambiente de Colômbia, a bióloga Maria Inácia Macedo Freitas, a empresa Eletrobras Furnas que comanda a Hidrelétrica de Marimbondo, está reservando água para gerar energia elétrica. “Quem detém do uso da área é Furnas e quem controla a vazão é ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) em Brasília. Estão fazendo o máximo de reserva possível de água, se aproximando do nível da ponte. E diante disso, voltamos a debater as questões de segurança da ponte”, explicou Maria Inácia.
Segundo Maria Inácia, em virtude da ponte ter sido construída em 1954 e a hidrelétrica em 1978. “O que acontece que a ponte está abaixo da cota de inundação. Com o nível de ponte Furnas perde mais dois metros de água lindeira em virtude da ponte”, afirmou a bióloga.
Pesca
Em virtude do nível da água estar em torno de 40 a 50 cm da ponte, o trânsito de embarcações pelo Rio Grande não está sendo possível por debaixo da ponte, prejudicando os pescadores que gostam de pescar abaixo após a ponte. “Todos os portos de pesca estão na área urbana de Colômbia e diante disso revitalizamos o antigo corredor boiadeiro, para os pescadores atracarem às suas canoas. Tem gente que se arrisca, deita no barco e tenta passar, mas é arriscado”, explicou.

Compartilhe: