terça-feira, 21 de maio de 2019

Notícias

Inquérito envolvendo ex-secretária de finanças e seu marido está no MP e aguarda laudos periciais

Dos 113 servidores estão sendo instaurados de forma separada
A Polícia Civil de Barretos segue apurando em inquéritos, as possíveis fraudes nos pagamentos dos holerites premiados na Prefeitura de Barretos. Segundo o delegado, Rafael Faria Domingos, que é delegado assistente do seccional, quando ocorreu a operação do GAECO foi instaurado o inquérito envolvendo a ex-secretária de finanças, Adriana Soprano e seu marido, Rafael Soprano, sendo concluído dentro do prazo processual de 10 dias. “Esse inquérito foi concluído e já foi remetido ao judiciário, cabendo ao Ministério Público tomar as medidas cabíveis. Ainda restam alguns laudos períciais das apreensões feitas no dia da prisão do casal, relativa aos celulares, documentos, computadores e algumas mídias apreendidos. Agora aguardamos o desfecho desses laudos para encaminhar ao Ministério Público. Está comprovado que o casal praticou crime de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro”, afirmou o delegado Rafael Faria Domingos.
Novos Inquéritos
Com relação aos 113 servidores, que receberam pagamentos indevidos em seus salários, o delegado Rafael Domingos Faria, afirmou que alguns inquéritos já foram instaurados e outros ainda serão abertos. “O intuito é apurar a conduta dos servidores envolvidos, que receberam verbas a mais em seus salários. Esses servidores serão chamados para prestar as suas declarações e terão a oportunidade de se defender e entendemos que cometeram o crime de peculato, por ter recebido verbas indevidas”, explicou o delegado Rafael.
Segundo o delegado, o trabalho será de longa duração, já que muitas pessoas serão ouvidas e necessitam de laudos e diligencias investigativas que necessitam ser realizadas para efetivamente comprovar essa fralde. “O mais importante, é levantar o valor total de prejuízo aos cofres públicos para que através do judiciário seja possível recuperar parte desses valores recebidos indevidamente”, finalizou.
O delegado não descartou o envolvimento de outros servidores, além dos que estão envolvidos nas portarias da Prefeitura.

Compartilhe: