quinta-feira, 20 de junho de 2019

Notícias

Exercício arbitrário das próprias razões

O técnico em eletricidade F.A.F., 27 anos, morador na Avenida 13, centro da cidade, foi até a delegacia e informou que deixou o seu veículo Gol, ano 2012, branco, no estacionamento de um Lava Jato, situado a Avenida 15, sendo isso por volta das 10h30.
Ocorre que, por volta das 11h45, ele retornou ao local para pegar o veículo e não o encontrou, e ao conversar com o proprietário do Lava Jato, o mesmo informou que uma pessoa, que se identificou como “Fabiano” havia pegado o veÍculo e ele disse que iria leva-lo a pedido da vítima, e que retomaria mais tarde, sendo que não retornou.
Foi informado pela vítima que, há aproximadamente, um ano atrás ele vendeu este veículo Gol, para um conhecido de nome “André”, o qual se comprometeu em terminar de quitar o financiamento do mesmo e na ocasião, “André” lhe entregou um cheque no valor de R$2.500.00, e, posteriormente, a vítima constatou que o cheque estava sem fundos.
Na ocasião ele tentou entrar em contato com “André” por várias vezes, mas não obteve êxito em receber, então, há cerca de, aproximadamente, um mês atrás, ele visualizou o veículo Gol estacionado pela Avenida 23, em frente à Santa Casa, e de imediato chamou um chaveiro, pegou o veículo e o levou para sua casa, sendo que mais tarde a Policia Civil compareceu em sua residência e apreendeu o carro junto com a cópia da chave e o CRLV, pois o mesmo já estava com queixa de furto, feita por “Fabiano”.
Em seguida a vítima providenciou a quitação e toda a documentação para reaver o veículo, o qual já se encontrava em seu nome, sendo que por fim a Seguradora fez a devolução do veículo para ele, e desta vez, “Fabiano” tornou a pegar o carro sem a sua autorização no estacionamento do Lava Jato.
Ao final foi relatado pela vítima que ao deixar seu veiculo no estacionamento ele também deixou em seu interior uma blusa, um envelope de papel com a quantia de R$3.000.00, as chaves de sua residência e um controle remoto do portão. O caso foi registrado como Exercício Arbitrário das próprias razões e encaminhado ao setor competente.

Compartilhe: