terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Artigos

Ventos da Bonança

Bom Dia Barretos.
Parece que os ventos da bonança começaram a soprar em nossa direção. O governo eleito ainda nem começou a implantar sua filosofia de trabalho, mas os sinais de uma melhora da economia, já geraram os ares da graça, com a Bolsa de Valores engatando três altas seguidas, enquanto o dólar encarava uma ré, tudo fruto do restabelecimento da confiança no mercado como um todo.
Respira-se esperança, confiança e expectativa, motores fundamentais para a retomada do desenvolvimento. A montagem do ministério, sem indicações políticas, se por um lado foi aplaudida pela população, por outro levantou uma grande dúvida.
Teria o novo governo condições de se entender com o Congresso, peça fundamental para a aprovação das reformas?
Alguns previam dificuldade de relacionamento com os congressistas, uma vez que não foram consultados e nem ouvidos na composição ministerial. Sem o Congresso, não tem reformas, e sem as reformas, o crédito do governo desceria a ladeira.
Mas, já no raiar das primeiras medidas, o apoio declarado do partido do presidente ao atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, com o compromisso, por ele assumido, de trabalhar no Congresso pela aprovação das reformas, devolveu a tranquilidade à classe empresarial e alavancou a subida da Bolsa.
O clima de expectativa se transformou na certeza de que as mudanças ocorrerão. Até o clima resolveu dar sua colaboração com uma alternância benéfica entre sol, calor e chuva, pavimentando o caminho para obtermos uma safra recorde, e, com ela, preços mais comportados na mesa do cidadão.
Ganha o produtor rural, ganha o transportador, o armazenador, o consumidor e a balança comercial, com o aumento das exportações. Cria-se assim, um clima extremamente favorável para que o país retome o ciclo desenvolvimentista.
Agora, um novo episódio deve dar o tom do novo governo. O governador do Ceará, Camilo Santana, do PT, solicitou tropas para conter a onde de atentados criminosos contra ônibus e prédios públicos. O governo de pronto atendeu, sem questionar a que partido o governador pertencia, nem se ele, como os demais governadores do PT, boicotaram a posse do presidente.
Com isso, o ministro Sérgio Moro confirmou sua posição de combate sem trégua ao crime organizado. Estamos respirando novos tempos. Precisamos apenas que o senhor presidente de abstenha de tuitar, deixando para os comunicadores do governo tal afazer.

Bom Dia Barretos.

Compartilhe: