sábado, 17 de novembro de 2018

Artigos

TRANSFIGURAÇÃO

Bom Dia Barretos. Tinha acabado o jogo do Brasil. A cidade estava como que deserta. Saindo do hospital e me dirigindo ao lar, senti um impulso de entrar na Igreja e fazer uma oração, agradecendo à DEUS por tantas graças recebidas.
Sentado num dos últimos bancos, tive minha atenção voltada para o comportamento de uma senhora sentada à minha frente. Questionava ela em voz embargada, pela presença de DEUS. Alegava ser fiel, não perder uma missa sequer, pagar o dizimo regularmente, participar do culto e das ações beneméritas da igreja e nem assim DEUS havia poupado seu filho. Ele era arrimo de família, e quem a levava aos médicos, comprava e pagava pelos seus remédios e nem assim DEUS o poupou. Então questionava em voz embargada: será que DEUS existe mesmo? E se existe, por que agiu assim? Por acaso, não mereceria eu, melhor sorte? Não, DEUS não existe, eu é que estava iludida, continuava a se questionar. Quem é DEUS?
A partir daí, comecei a perceber que ela foi se transfigurando e o sorriso voltou aos seus lábios. Sua face passou a refletir uma sensação de profunda paz interior. Confesso que fiquei intrigado, e quando se retirava a abordei e perguntei o que havia ocorrido. Ela me relatou então, que ao questionar quem é DEUS, sentiu uma voz tonitruante dizendo: “Eu Sou. Mas quem você é, então repliquei. Eu Sou amor, Eu Sou paz, Eu Sou graça, Eu Sou alegria, Eu Sou força, Eu Sou segurança, Eu Sou abrigo, Eu Sou poder, Eu Sou o Criador, Eu Sou o conforto, Eu Sou o começo e o fim, Eu Sou o caminho, a verdade e a luz. Com lagrimas nos olhos, os elevei ao céu e questionei: agora entendo. Mas quem sou eu? DEUS ternamente enxugando as lágrimas de meus olhos murmurou: Você é minha”. Foi por isso que num determinado momento, como que por encanto, vi aquela mulher se transformando de uma pessoa angustiada e sofrida, em alguém tranquila, e irradiando paz. Completou ela: Percebi uma luz intensa me envolver e sem que palavra alguma fosse dita, sem qualquer sinal ou explicação, entendi que estava errada.
Se Deus fosse atender todos os pedidos de mães, deixaria de valer o livre arbítrio. Cada ser, vem ao planeta terra, para cumprir uma missão, previamente por ele escolhida, e DEUS, lhe garantiu pelo livre arbítrio, o direito de escolher os caminhos pelos quais deveria cumprir sua missão.
Apesar de ser DEUS o todo poderoso, estaria comprometendo a jornada terrena de seus filhos se intervisse. Mesmo quando Cristo suplicou, no auge de sua angustia, “Pai , afasta de mim esse cálice”, DEUS não interveio, pois se assim o fizesse de nada teria valido a vinda de CRISTO ao nosso planeta, não se cumpririam as escrituras e nós não estaríamos livres do pecado original. A nossa salvação dependia do sacrifício de CRISTO. Então entendi que muitas vezes pedimos o impossível e DEUS atende só o possível.
Agora sei, que meu filho tendo cumprido sua missão, está em paz no plano espiritual e que DEUS não me abandonará em minha jornada terrena.
Dizendo isso e com um sorriso que vinha do fundo de sua alma, me abraçou e se foi.
BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: