domingo, 17 de dezembro de 2017

Artigos

TELHADO DE VIDRO

Bom Dia Barretos. Tem um ditado popular que diz: "Em casa com telhado de vidro, as crianças são proibidas de brincarem com pedras". Pois bem, temo que o Congresso Nacional tenha se transformado num grande palácio de teto de vidro, onde o que parece se ver é um desespero total dos senhores parlamentares em busca da manutenção de seus mandatos. E, parece que o fazem não pela honra de representarem parcela da população brasileira, muito menos movidos pelos ideais de servirem a comunidade, e sim porque precisam desesperadamente de um mandato, para fugir das garras da lei.

 

Como o Supremo já decidiu, que para um parlamentar ser processado precisa-se do aval da casa, e como uma grande parcela dos senhores parlamentares, segundo consta, têm contas a acertar com a justiça, a perda do mandato pode significar para o congressista, o início de seu calvário. Donde se conclui que o nosso parlamento se viu coberto por um imenso telhado de vidro, onde uns acobertam os outros, enquanto o nosso povo continua a amargar as consequências desse estado de coisa.

O nosso Presidente da República, chegou ao cargo pelas mãos dos senhores deputados e, em consequência disso, passou a contar com uma maioria no parlamento, que nos fez acreditar ser possível implementar as reformas que o país tanto precisa. É verdade, que o governo começou a traçar uma rota de recuperação da nossa economia e do desenvolvimento do País.

Estarrecidos, mas não surpresos, começamos a acompanhar pela imprensa e pela internet, que para se votar a reforma trabalhista, o governo teve que liberar milhões de reais em emendas parlamentares. Para derrubar a primeira denuncia contra o Presidente, diga-se de passagem, denuncias muito mal explicadas, nova enxurrada de liberação de emendas. Na segunda denuncia outra leva, e agora fala-se em uma cifra avassaladora para aprovar a reforma da previdência.

As perguntas que não querem calar são:

 

1 – os senhores parlamentares foram eleitos para nos representando votarem leis ou para buscarem apenas satisfazerem seus interesses particulares, nem sempre republicanos?

 

2 – Seria moral exigir cargos e indicar afilhados em troca do apoio parlamentar?

 

3 – Pode-se confiar em quem não tem lealdade com seus eleitores, bem como, com o partido que lhe concedeu legenda?

 

4 – Quem barganha seu voto por liberação de emendas e nomeação de afilhados por cargos no governo, merece nosso respeito e nosso voto?

 

5 – Até quando teremos que conviver com esse exemplo nefasto, vindo de cima, e contaminando uma vasta base vulnerável de nossa sociedade?

 

Bem meus irmãos estamos a praticamente a uma semana do Natal. Confesso que gostaria de estar aplaudindo nossos representantes por um ano profícuo de trabalho, mas a contragosto sou obrigado a reconhecer que, ou a nossa população acorda e muda a composição desse congresso, ou continuaremos patinando e lamentando mais uma nova oportunidade perdida. Pense nisso! E um bom final de semana.

BOM DIA BARRETOS.

 

Compartilhe: