domingo, 21 de julho de 2019

Artigos

PIRÂMIDE FINANCEIRA

Bom Dia Barretos. Há tempos atrás, virou uma febre as chamadas pirâmides financeiras, que lesaram milhares de incautos. Era, na verdade, verdadeiras maracutaias que exigiam recrutamento progressivo de participantes, até o golpe final. Quem geria a pirâmide financeira, simplesmente buscava obter ganhos ilícitos, através de especulações fraudulentas, classificadas como crimes contra a economia popular.
Pois bem, talvez inspirados nas pirâmides financeiras, um “grupo de espertos” da prefeitura municipal de Barretos montou um sistema similar, para desviar dinheiro público, carreando-os para seus bolsos. Depois de algum tempo, começaram a recrutar funcionários desavisados, mas ambiciosos, a entrarem na pirâmide dos desvios, que crescia geometricamente.
Diante do crescente aumento da arrecadação, e da falta de investimentos públicos em nossa cidade, repetidamente perguntávamos: “Onde está o dinheiro de Barretos, onde está sendo aplicado?”.
Hoje, com muita tristeza, reconheço que o dinheiro de nossos impostos, não estava sendo aplicado, estava apenas sendo surrupiado por uma organização criminosa, de dentro da prefeitura. E mais ainda, o que veio à tona até agora, pode se constituir apenas a ponta de um grande iceberg, de desvios mais substanciosos.
O esquema montado na prefeitura envolvia cada vez mais funcionários, atraídos pelo dinheiro fácil oferecido. A ambição pairou acima da consciência, honestidade e retidão de conduta, que por longas décadas, imperou do seio do funcionalismo municipal.
A corrupção se alastrou, e foi destruindo a joia administrativa de Barretos, que eram seus funcionários aptos, capazes, conscientes e envolvidos na busca de uma administração eficaz para nossa cidade. Lamento por muitos deles, que agora sofrerão punições que vão das demissões à perda do direito de se aposentarem como funcionários municipais.
Não existem santos nesse balaio, e a única saída que vejo, para tais funcionários minorarem um pouco o peso da espada que cairá sobre suas cabeças, é se anteciparem numa delação premiada, trazendo inclusive fatos novos, que ainda não foram noticiados. Depois será tarde, a vaca já terá ido para o brejo, e sem direito a retorno. Sempre achei que o melhor juiz, para julgar nossos atos, é a nossa consciência. Por isso, com frequência me quedo a questionar, como deve estar a consciência dos envolvidos, será que adormecida, cega pela ambição, ou quem sabe, entorpecida pelas propostas de seus superiores? No último final de semana, terminei meu artigo dizendo e escrevendo acorda Barretos, mas hoje, direi: Acorda funcionários, digam simplesmente a verdade e ela talvez possa resgatá-los.

BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: