segunda-feira, 25 de junho de 2018

Artigos

Papa autoriza os Decretos para que Paulo VI e Dom Romero sejam declarados santos

O Papa Paulo VI e Dom Romero serão santos: o Papa Francisco autorizou a Congregação das Causas dos Santos a promulgar os Decretos que reconhecem os milagres atribuídos à intercessão dos Beatos Paulo VI e Oscar Arnolfo Romero Galdámez.
O próprio papa já havia anunciado que Paulo VI seria canonizado até o final do ano, durante seu encontro com os párocos de Roma em 15 de fevereiro passado. Naquela ocasião, o pontífice disse que Paulo VI foi corajoso em seu “humilde e profético testemunho de amor a Cristo e à sua Igreja”.
Giovanni Battista Montini nasceu em Concesio, Bréscia, na região italiana da Lombardia, e foi ordenado aos 22 anos. Em 1954, foi nomeado arcebispo de Milão. Criado cardeal pelo Papa João XXIII em 1958, participou nos trabalhos preparatórios do Concílio Vaticano II. Em 21 de junho de 1963 foi eleito papa.
Paulo VI escreveu sete encíclicas, entre as quais a Humanae vitae de 1968 (que descreve a postura da Igreja Católica em relação ao aborto e outras medidas que se relacionam com a vida sexual humana) e a Populorum progressio de 1967 (que denuncia o agravamento do desequilíbrio entre países ricos e pobres, critica o neocolonialismo e afirma o direito de todos os povos ao bem-estar).
Foi o primeiro papa a fazer viagens internacionais, tendo visitado Terra Santa, Estados Unidos, Índia, Portugal, Turquia, Filipinas e Austrália, dentre outros.
O outro futuro grande santo é Beato Oscar Arnolfo Romero Galdámez, Arcebispo de San Salvador e mártir. Dom Oscar Romero nasceu em Ciudad Barrios (El Salvador) em 15 de agosto de 1917 e foi assassinado na capital salvadorenha em 24 de março de 1980, enquanto celebrava uma missa, por um atirador de elite do exército salvadorenho. Sua morte provocou uma onda de protestos em todo o mundo e pressões internacionais por reformas em El Salvador.

Compartilhe: