quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Artigos

Organizando a Internet das Coisas

De uma forma simples, a Internet das Coisas ou Internet of Things (IoT), é a conexão e a comunicação de objetos entre si e com as pessoas, através de redes, especialmente da Internet. O desenvolvimento da IoT abre inúmeras possibilidades de avanço em áreas como indústria, agronegócio, saúde e outros.
Mas para que a IoT seja realmente um fator de progresso, é necessário um marco regulatório claro e bem concebido, fundamental para estimular a confiança de investidores e consumidores, bem como para permitir a criação de um ambiente que concilie a saúde econômico-financeira das empresas com as exigências e as expectativas da sociedade. Como acontece com frequência, o desenvolvimento da tecnologia é mais rápido que a evolução desse marco regulatório e isso é verdadeiro também na área de IoT.
Diante dessa realidade, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), entidade vinculada ao Governo Federal e responsável pela resolução dos problemas mais comuns da regulação no Brasil, vem promovendo uma consulta pública com o objetivo de ouvir os interessados sobre os ajustes necessários na regulamentação brasileira de forma a que se possa explorar todo o potencial da IoT. Esse marco precisa abranger desde aspectos técnicos até aspectos tributários.
Consciente da importância do tema e coerente com sua postura de incentivo à inovação, a Universidade Presbiteriana Mackenzie, através de sua Faculdade de Computação e Informática em parceria com o Fórum Brasileiro de IoT, discutiu o assunto de forma a, no âmbito da consulta pública, oferecer sua contribuição para o desenvolvimento da IoT no Brasil, o que, em última análise, é muito importante para o desenvolvimento do nosso país.

Vivaldo José Breternitz – Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Compartilhe: