domingo, 23 de setembro de 2018

Artigos

NOSSA CRUZ DE CADA DIA

Bom Dia Barretos. Quando vejo irmãos de ombros calejados, andar trôpego, olhar morteiro, carregando com muito sacrifício a cruz de suas vidas, me vem à mente o questionamento: Por que tanto sofrimento, no dia a dia de nossas vidas? Depois de uma longa vida de lutas, de vitorias, derrotas e empates, quando acreditamos que já estamos quites com nossa missão na terra, eis que o peso de nossa cruz nos traz de volta à cruel realidade. Lamentar o que? Lamentar por que? Revoltar-se com o Criador, qual a razão? Se seu filho unigênito teve que carregar sua cruz até o calvário e humildemente nela deixar-se ser crucificado. Bem, é verdade, até ELE teve seu momento de angustia ao clamar ao Pai: “Afasta de mim esse cálice”, para em seguida completar “Seja feita a vossa vontade”.
Nossa Cruz é pesada? E a de CRISTO não o foi? Sei que as vezes dói, dói muito, dói até na alma, o peso de nossas cruzes. Doem tanto que ficamos a nos questionar: até quando poderei aguentar? Por que tenho que a carregar?
Todos nós chegamos a esse mundo para cumprirmos uma missão. Quando aqui aportamos, como que por encanto, tudo se apaga em nossa consciência e não mais sabemos qual foi a missão com a qual nos comprometemos, nem quanto tempo durará, e como será o seu final. O único que teve plena consciência de qual era sua missão, e a cumpriu com dedicação foi Cristo, que mesmo sabendo como seria o final de sua caminhada, por amor a nós, e procurando redimir-nos, aceitou humildemente morrer na cruz, sem desespero, e ainda pedindo ao PAI, “perdoai-os porque eles não sabem o que fazem”.
Em verdade, até hoje não sabemos o que fazemos aqui. Se soubéssemos, não existiria tanta droga, crimes, traições, assaltos, vandalismo, estupros, ódio, raiva, rancor a infernizar nossas existências. Estamos chegando ao final dos tempos, e nada como uma Semana Santa para mergulharmos em nosso interior e nos questionarmos: Estarei carregando minha cruz dentro do programado no plano espiritual? Estou fazendo as pessoas que me cercam felizes ou as estou infelicitando? Tenho repartido com os meus semelhantes um pouco do amor com que DEUS me agraciou, ou apenas sou arrogante, e me preocupo com as baladas, bebidas, amores proibidos, vantagens e luzes da ribalta?
A medicina de hoje, tem plena consciência de que decepções e tristezas profundas, além de acrescentarem alguns quilos de chumbo às nossas cruzes, podem se transformar em graves doenças físicas, para as quais não encontramos justificativa. Depois de analisar nossas vidas, bem como os caminhos que estamos trilhando, e depois agradecer a DEUS pela vida e pelas inúmeras oportunidades colocadas à nossa disposição, para que possamos crescer espiritualmente, vamos bendizer nossa cruz, por mais pesada que seja, e com muita humildade continuar nosso caminho, até que um dia, as portas do infinito se abram para nós.
Feliz Páscoa meus irmãos, comemoremos-a com as bênçãos de CRISTO.

BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: