domingo, 15 de julho de 2018

Artigos

NOSSA CIDADE

Bom Dia Barretos. Se perguntarmos a qualquer pessoa, qual a maior riqueza que DEUS nos deu, tenho certeza que todos dirão, que foi a vida. A vida também deve ser a maior prioridade, de qualquer governo que se preze. Temos que cuidar com muito carinho de nossas crianças, porque elas representam o nosso futuro. De nossos idosos, porque representam o nosso passado, e da população adulta, que representa o nosso presente.
Portanto, cuidar do ser humano, deve ser a primeira meta de qualquer governo comprometido com a população que o elegeu. Quando elegemos alguém, é como se estivéssemos contratando-o para cuidar de todos nós, bem como da casa onde moramos, a nossa cidade. Daí, ter-me causada preocupação, o direcionamento das prioridades de Barretos elencadas pela atual administração. Virou lugar comum, sempre que se reivindica algo na atual administração, ouvir a mesma ladainha, a de falta de recursos. Até seria compreensível se a arrecadação de tributos referendasse o alegado. Mas não é o que se constata nos portais de transparência. Assim, não se pode entender a retirada da varrição de nossas ruas, o abandono na limpeza pública, o descaso com a saúde, o estado lastimável em que se encontra o asfalto das ruas da nossa cidade.
Vários outros setores poderiam estar engrossando esse apanhado, mas o que me levou a enfocar tal assunto hoje, foram as últimas medidas que contradizem a tal contenção de despesas. Cortaram as verbas para nossas entidades sociais e/ou filantrópicas. Abandonaram o Sagrado Corações de Jesus, que atendia aproximadamente 200 crianças. E todas as entidades juntas, recebiam para cuidar de nossas crianças e idosos menos da metade que do que destinaram para erigir dois monumentos em Barretos. Claro que precisamos prestar homenagens aos nossos antepassados, mas não a custa de tirar o pouco das verbas pública que eram destinadas às nossas entidades. Destinaram verbas para o futebol e gosto muito de futebol e do Barretos, mas se têm verbas para socorrê-lo tem que ter verbas também para atender nossas crianças.
E se a Prefeitura está realmente na penúria relatada foi uma incongruência muito grande destinar recursos para monumentos e para o futebol. Alegam que é para incrementar o turismo. Mas quem está preocupado com o turismo? Se realmente estivessem preocupados com o turismo, deveriam prioritariamente pensar no abandono da cidade, na tal avenida “Fundo de Vale” que nunca acaba e se tornou um sorvedouro dos recursos municipais, no Recinto Paulo de Lima Correa abandonado e de nosso Museu Municipal jogado às traças. Deveriam pensar no estado de abandono da praça Francisco Barreto, da dificuldade em se chegar ao centro da cidade com ruas interrompidas, e na terceirização mal explicada da rede pública da saúde. Se realmente estiver faltando dinheiro, por que não analisar com mais cuidado o que se está empregando na avenida “Fundo de Vale”, o que se paga, o quanto se paga e a qualidade do serviço executado. Depois não digam que não alertei!
Bom Dia Barretos.

Compartilhe: