segunda-feira, 25 de março de 2019

Artigos

NO TEMPO DAS CARRUAGENS

Bom Dia Barretos. Dia desses, estava a relembrar dos velhos filmes de faroeste, que assistíamos nas matinês dominicais do Cine Barretos, quando não no Cine Centenário e até no Cine Teteia. Sempre tinha uma carruagem transportando ouro ou pessoas importantes e bandidos tentando assaltá-la. Na troca de tiros, os mesmos, muitas vezes acabavam por atingir o cocheiro e a carruagem, sem controle, deslizava acelerada para o abismo. Mas para a alegria de todos, sempre aparecia um mocinho para salvá-la, bem como os valores transportados.
Observei a grande semelhança entre os filmes do velho faroeste e os tempos atuais de Barretos. Nossa cidade parece uma carruagem descontrolada avançando perigosamente para o abismo. O tiroteio que já perdura por um mês, agora não no velho oeste, mas em nossa querida cidade, vai abatendo, não fisicamente, os detentores de mandatos, cargos de confiança e funcionários do alto escalão, mas sim, a sua autoridade e a capacidade para exercê-los.
Afastados por 30 dias, mais de cem funcionários têm agora seu afastamento prorrogado por mais trinta dias, enquanto a população sofre com o péssimo atendimento de suas necessidades.
Nossa cidade está sem perspectiva de retomada do desenvolvimento. A dengue continua sua marcha acelerada, deixando pelo caminho milhares de pessoas atingidas, sem que possamos vislumbrar uma atitude sequer das autoridades constituídas para barrar seu avanço.
Declarar emergência não combate a dengue, quem a combate é a pulverização em massa, mutirão de limpeza de terrenos baldios, recolhimento de entulhos espalhados aos quatro cantos da cidade, eliminando assim os focos.
Voltando às carruagens, nossas ruas estão à altura das estradas por onde as mesmas trafegavam nos filmes, céleres rumo ao abismo. O dinheiro do IPVA chegou, o IPTU vai sendo pago enchendo os cofres da Prefeitura, mas o recape de nossas ruas continua estagnado.
Por outro lado, a água se torna cada vez mais um artigo de luxo, e a vemos diminuir dia a dia nas torneiras, enquanto a conta não para de aumentar, onerando cada vez mais o bolso do cidadão barretense.
A saúde fica cada vez mais distante daqueles que não possuem condições financeiras ou dispõem de um bom convênio médico.
Com mais dez dias, acaba fevereiro, março já começa com carnaval e o tempo voa deixando uma pergunta no ar: Quando será, que nossa população verá tudo esclarecido, com a cidade retomando o caminho de seu desenvolvimento.
Não meus amigos, não estamos vivendo um filme de faroeste, para que apareça um mocinho e nos salve, nem um terrível pesadelo, que faria tudo desaparecer quando acordássemos, mas uma triste e dolorosa realidade, que só Deus em sua infinita bondade pode nos salvar. Oremos, pois!
BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: