domingo, 24 de dezembro de 2017

Artigos

LIÇÕES DE CRISTO

Bom Dia Barretos.

Pensei em enfocar hoje os mais variados percalços, pelos quais vêm passando a administração municipal de Barretos. Pensei também em discorrer sobre as recentes denúncias de empreiteiras, relatando irregularidades nas licitações de obras públicas, pelas administrações do PSDB em nosso estado. Ou talvez, falar a respeito da prisão do ex-governador Paulo Maluf, decretada durante a semana passada, ou mesmo do desencontro entre os poderes da República, que se contradizendo e se confrontando, vão criando uma situação insustentável para nossa economia.

Depois de tantas idas e vindas, sobre o tema a ser escolhido, dei-me conta de que estamos às vésperas do Natal. Como então ignorar as lições que Cristo nos deu através de palavras, gestos e conduta. Como ignorar as lições de humildade de um DEUS que poderia chegar à terra descendo dos céus flutuando sobre nuvens, cercado por anjos e arcanjos, mas preferiu chegar ao nosso planeta através da maternidade como qualquer um de nós.

Como DEUS, poderia nascer num palácio cercado de mordomias e atenção, mas preferiu nascer numa manjedoura, cercado por animais, como que a nos dizer: esses não traem. Percorreu milhares e milhares de quilômetros a pé, cercado de multidões, ensinando, pregando e curando enfermos, quando por um simples desejo, poderia se transportar de um ponto a outro sem as agruras das caminhadas. Foi tentado por três vezes pelo espírito das trevas, por estar aqui como ser humano e como ser humano poderia fraquejar, mas reagiu às tentações como DEUS, afastando-as uma a uma. Aceitou humildemente, para cumprir as escrituras e resgatar os homens do pecado original, o abraço e o beijo de Judas, sabendo de antemão, que era com esse gesto que o estava entregando aos guardas.

Não, não poderia, na véspera do Natal, fazer outra coisa, senão deixar de lado as mazelas humanas e elevando o pensamento aos céus agradecer, sem nada pedir, porque ELE sabe de todas as nossas necessidades, acompanha diuturnamente nossos passos e aplaina nossos caminhos. E, quando falo nosso, falo de nossas famílias, nossa cidade, nosso país, e nosso planeta.

Ficamos a relembrar que Pedro renegou a Cristo por três vezes, enquanto talvez por um lapso de memória, esquecemos que até o Natal, data que deveria ser reservada a agradecer a Cristo, pelo sacrifício que fez, nós a transformamos em uma festa pagã, regada a comidas e bebidas. Nenhuma oração, mas muitos amigos secretos, nenhum minuto de silencio para sentirmos a presença de Cristo, mas muito barulho a entorpecer nossos sentimentos.

Ao desejar a vocês meus amigos, e a toda nossa população, um Natal de muita paz, esperança e amor, quero acrescentar que no seu Natal não falte um momento de silencio interior que permita uma reflexão sobre as lições que Cristo nos deixou. Bom Natal a todos.

BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: