terça-feira, 17 de setembro de 2019

Artigos

Igrejas cristãs celebram os 20 anos da declaração conjunta sobre a Doutrina da Justificação

Antecipando-se aos 20 anos da declaração conjunta sobre a Doutrina da Justificação, que se comemora no próximo dia 31 de outubro, o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC), do qual a CNBB faz parte, realizou uma celebração ecumênica no dia 04, na sede da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em Brasília.

O bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário-geral da CNBB, Dom Joel Portella e o bispo de Cornélio Procópio (PR) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo, Dom Manoel João Francisco, entre outros representantes católicos, participaram da celebração.

O pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) e presidente do CONIC, Inácio Llemke, disse na acolhida que a celebração marca uma data importante que representa avanços para a proximidade entre Igrejas cristãs. 

Segundo o primeiro vice-presidente da IECLB, pastor Odair Airton Braun, convidado a fazer uma reflexão sobre a leitura do texto bíblico que inspirou a doutrina (Rm 3.21-31), a declaração conjunta é apenas um sinal de que quando se senta à mesa e dialoga é possível caminhar juntos e construir a unidade. A declaração conjunta, para ele, é um sinal de esperança. “Justificados em Cristo, é necessário que atuemos para defender a liberdade religiosa”, disse.

Participaram da celebração líderes e representantes das igrejas Presbiteriana Unida, Episcopal Anglicana do Brasil, Catedral da Ressurreição, Evangélica de Confissão Luterana, Sírian Ortodoxa de Antioquia e Católica Apostólica Romana. 

A Declaração Conjunta Luterano-Católica sobre a Doutrina da Justificação por Graça e Fé foi assinada por católicos e luteranos, em Augsburg, Alemanha, em 1999. Posteriormente, o Conselho Metodista Mundial (2006), a Comunhão Anglicana (2017) e a Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (2017) também assinaram a mesma Declaração. 

No número 19 da Declaração, luteranos, católicos, metodistas reformados e anglicanos “confessam juntos que o ser humano, no concernente à sua salvação, dependem completamente da graça salvadora de Deus”.

O diálogo bilateral entre Luteranos e Católicos começou logo após o término do Concílio Vaticano II (1962 – 1965).

Compartilhe: