terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018

Artigos

História do Centro Espírita de Caridade “Redentor”

A história do espiritismo em Barretos remete ao início do século XX, nos idos do ano de 1906 com o grupo de intelectuais que fundou a Sociedade Espírita 25 de Dezembro. Mas nem sempre no decorrer do século passado, anos onde o espiritismo se consolida e cresce em Barretos, somente grupos mais elitizados e intelectualizados estiveram ligados a fundações de sociedades kardecistas.
Um desses grupos foi o grupo que fundou o Centro Espírita de Caridade “Redentor”. De origem humilde, sem muito destaque e prestígio social, reunidos na casa do senhor Sebastião Adão, na altura da Rua 4 entre as avenidas 29 e 31, um grupo se reunia periodicamente para o estudo das obras de Allan Kardec e do espiritismo, bem como para a realização de práticas mediúnicas. Tudo isso acontecia na segunda metade da década de 1950.
Vale ressaltar aqui que a definição para mediunidade, em simples palavras é: a capacidade da pessoa de se comunicar com os espíritos, com pessoas já falecidas.
Com o crescimento desse grupo, houve a necessidade de um local específico e maior para as realizações das reuniões e sessões. O grupo logo que organizado recebia as diretrizes passadas pela União Municipal Espírita de Barretos, formada na década de 1940, ligadas a Sociedade Espírita 25 de Dezembro e demais sociedades unidas, que por sua vez recebiam remetiam a Federação Espírita Brasileira, fundada em 1884, e que buscava uma uniformidade doutrinária e uma união entre as sociedades espíritas brasileiras.
O Centro Espírita de Caridade “Redentor” foi fundado no dia primeiro de janeiro de 1956, e no dia um do mês de julho elege sua primeira diretoria, tendo como presidente o Sr. Sebastião Adão.
As reuniões passaram então a ser realizadas em um barracão na Avenida 23 entre as ruas 4 e 6. Posteriormente, com o apoio da sociedade barretense, sejam espíritas ou não, adquiriram um terreno e passaram a construir um prédio próprio para que fossem realizadas as reuniões. O novo Centro Espírita estava localizado na Avenida 33 entre as ruas 8 e 10, onde até hoje está em funcionamento.
Por mais que com o passar do tempo o Centro tenha se distanciado das diretrizes doutrinárias e práticas kardecistas, foram surgindo grandes figuras importantes como: Dona Adalgiza de Freitas, Sr. Clímaco Santiago, Jerônimo Alves de Sá (o Tio Doca), passaram a nos anos seguintes entre as décadas de 1970 a 1980 a implementar reformas doutrinárias, bem como a ampliar e melhorar a estrutura predial do Centro Espírita de Caridade “Redentor”.

Leonardo Ferrari Silva, historiador formado pela Faculdade Barretos

Compartilhe: