quinta-feira, 18 de julho de 2019

Artigos

DORES DO PARTO

Bom Dia Barretos. O nosso país está passando pelas dores do parto. Lembro-me, que ainda estudante, estagiando no setor de obstetrícia da Policlínica de Botafogo, ouvia, ao assumir o plantão, gemidos de pacientes portuguesas clamando: “Ai Jesus”, e então já sabia que estavam em trabalho de parto avançado.
Estamos passando por uma verdadeira revolução cultural em nossa pátria. A moral de nossa sociedade, até ontem, era balizada pela Rede Globo e suas novelas perniciosas. Os sindicatos proliferavam à custa de benesses governamentais, a quem prestavam contrapartida levando trabalhadores a atuarem atendendo a seus interesses. Recebiam de porteira fechada fundos de pensão, que dilapidavam repartindo o botim, entre os apaniguados em prejuízo dos trabalhadores.
O BNDES recebia recursos do governo e os repassava a grupos empresariais, previamente acertados, e a juros subsidiados, em troca de propinas e favores. Nossos recursos bancavam obras em outros países enquanto faltavam recursos aqui para obras rodoviárias, ferroviárias, saneamento básico, metrô, saúde, educação, bem como para as nossas empresas menores.
Governantes enriqueciam desviando recursos públicos. As máfias proliferavam, órgãos da imprensa recebiam polpudas verbas para não denunciarem o esquema. Nada escapava ao descalabro moral e administrativo pelo qual passava a nação.
Então vieram as eleições, o povo resolveu dar um basta a tudo isso, deu a vitória a quem todos diziam ser zebra. O leite secou, vozes virulentas se levantam buscando desmoralizar ou parar a revolução desarmada que está acontecendo, mas o governo eleito não se intimida e está determinado a repor o Brasil nos trilhos.
A imprensa, que perdeu o “cala boca”, todo dia estampa uma nova denúncia, transforma episódios corriqueiros em escândalos majestosos, a fim de criar clima propício ao retrocesso. O país precisa das reformas, mas o Congresso teima em não as aprovar, dizendo que quem as defendeu no passado, não se reelegeu.
Estão pensando na próxima eleição e não no bem-estar da pátria e de seus eleitores. Quando, no governo anterior, com o presidente Temer, que tinha maioria no Congresso, estando tudo pronto para votar a reforma previdenciária, veio a denúncia da JBS, uma das apaniguadas do BNDES e melaram tudo.
Passada a tormenta, o governo tentou novamente votar a reforma e nova denúncia travou tudo. Mudou o governo, a reforma está na pauta para ser votada e agora tentam a mesma estratégia, para tentar barrá-la. Por quê? Por acaso vai prejudicar o trabalhador? Não. Claro que não. Pelo contrário, trás benesses ao trabalhador, mas vai acabar com as aposentadorias milionárias de parte de alguns parlamentares, diretores de estatais e membros do Executivo, Legislativo e Judiciário. Não, não conseguirão barrá-la. O povo foi à rua, numa manifestação gigantesca dando o seu recado. A greve geral que fomentaram contra as reformas fracassou, enquanto nova manifestação popular para repor o país nos trilhos já está marcada para o final do mês.
O Brasil mudou! As dores do parto dos novos tempos da pátria estão levando os corruptos, não só a gritarem “Ai Jesus”, como também, no auge do seu desespero, tentarem as mais virulentas iniciativas visando parar a história que estamos começando a escrever. Não conseguirão. Louvado seja DEUS!
BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: