sexta-feira, 20 de Abril de 2018

Artigos

Coragem para enfrentar as tempestades

Diante da nossa realidade humana e consequentemente limitada, ao ficarmos diante de algo diferente que nos traga um sentido de mudança ou algo que seja inovador e que nos desafia a traçarmos uma decisão que pode mudar os rumos da nossa vida, ou até mesmo diante de uma avaliação ao qual podemos ser desqualificados e reprovados pela sociedade, família, amigos diante das críticas e preconceitos que serão estabelecidos à nossa ação, ou até mesmo por decepções, desilusões, etc., nos deparamos com os sentimentos de medo, insegurança, dúvida, ao qual temos a sensação de estarmos vivendo em meio a uma tempestade incessante que nos torna tristes, abatidos, preocupados em busca de uma solução que enfim nos traga paz.
Diante da tempestade acalmada, ao quais os discípulos se apavoram, Jesus dirige-se a eles com uma pergunta: “Por que este medo, gente de pouca fé?” (Cf. Mt. 8, 23-27). Diante deste fato, devemos reconhecer que se faz necessário diante das tempestades de nossa vida rompermos com os medos, tendo a coragem de assumir uma atitude, acreditando e tendo fé que ela pode ser superada e que se não tomarmos uma decisão o sofrimento que ela traz consigo ira nos derrubar e sufocar-nos.
Assim, a partir do momento em que conseguirmos atingir uma espiritualidade que nos aproxima de Deus, passaremos a compreender que não podemos voar, pular, nem queimar etapas, é preciso enfrentar e superar os desafios e os medos para que a partir daí renasça uma nova realidade que gere frutos de amor, paz, gratidão, solidariedade que darão sentido a nossa existência e nos ajudarão a termos a fé e a coragem para permanecermos firmes diante das tempestades que nos virão.
Vivendo esta realidade, estaremos de acordo com o que Jesus vivenciou e nos ensinou: “No mundo haveis de ter aflições, mas tende coragem eu venci o Mundo (Cf. Jo 16, 33)”. Aproveite as tempestades para se aproximar de Deus e superar-se a cada dia, na certeza de que após as tempestades vem a bonança, ou seja, um novo tempo de paz, de felicidade, alegria e celebração. Coragem, tenha esperança, não desista de sua caminhada.
Daniel Canevarollo
Seminarista

Compartilhe: