quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Artigos

Católicos e muçulmanos preparam evento que marca os 800 anos do encontro de São Francisco de Assis e o Sultão al-Malik al-Kamil

Para fazer memória aos 800 anos do encontro entre São Francisco de Assis e o Sultão al-Malik al-Kamil Muhammad Ibn Adil do Egito, católicos e muçulmanos da cidade de Barretos preparam um evento para marcar o diálogo entre as duas religiões.
Segundo a irmã Marta Melo, da Congregação das Franciscanas da Penitência, no dia 29 de novembro, o evento começará às 12h30 na Capela do Educandário Sagrados Corações. “Na capela faremos uma introdução e contextualização do que é a comemoração desses 800 anos. Em seguida, sairemos em caminhada até a Mesquita e lá a comunidade islâmica nos acolherá. Há 800 anos, São Francisco foi ao encontro do Sultão. Na Mesquita também farão alguma colocação referente ao encontro e depois, juntos, iremos até a praça em frente à escola Almeida Pinto onde faremos alguns gestos simbólicos para que marque esse encontro de católicos e muçulmanos 800 anos depois”, explicou a religiosa.
O encontro entre São Francisco e o Sultão al-Malik al-Kamil aconteceu no ano de 1219, quando acontecia a Quinta Cruzada. Cruzada é o nome dado ao movimento militar cristão que partia da Europa Ocidental em direção à Terra Santa e à cidade de Jerusalém com o objetivo de conquistá-las, ocupá-las e mantê-las sob o domínio cristão. A Quinta Cruzada tinha o objetivo de conquistar o Egito, considerado essencial para a conquista de Jerusalém, tendo em vista que os muçulmanos controlavam esse território.
Apesar dos abismos culturais, religiosos e sociais que separavam ambos os lados, algo transcendental unia os corações de São Francisco e do Sultão, que se tornaram amigos: o desejo pela paz.
A Quinta Cruzada foi concluída após a estadia de uns dias de São Francisco no acampamento muçulmano. O Sultão conseguiu encerrar o conflito derrotando os cruzados católicos e ainda enviou pães e aveia para os soldados cristãos derrotados e seus cavalos.
Independente da religião, toda a comunidade barretense é convidada a participar do evento.

Compartilhe: