quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Artigos

Bispos de toda Amazônia Brasileira se encontram em Belém para preparação final ao Sínodo

A arquidiocese de Belém recebeu até esta sexta-feira a ontem (30), todos os bispos titulares e auxiliares das 56 dioceses e prelazias da Amazônia Brasileira, além de leigas, leigos e religiosos, e lideranças dos 6 regionais da CNBB que compõem a região para contribuir com as vozes das realidades e na interlocução com os bispos. Organizado pela Comissão Episcopal Especial para a Amazônia (CEA), com apoio da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil), a proposta do encontro, foi o estudo do Documento de Trabalho do Sínodo, bem como partilha das experiências das escutas e da caminhada do processo sinodal nas dioceses e prelazias da Amazônia.
O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Walmor Oliveira de Azevedo, participou do encontro. Sobre o Documento de Trabalho do Sínodo, que será objeto da reflexão dos bispos, ele ressaltou que há uma leitura antropológica muito pertinente rumo à perspectiva da ecologia integral. O presidente da CNBB reforçou que o maior desafio, ainda nesta fase de preparação é reforçar a leitura teológica uma vez que a tarefa principal da Igreja é a evangelização e o anúncio de Jesus Cristo.
“Enfrentaremos estes desafios e o faremos do melhor modo possível para que o Sínodo, atividade que está em profunda sintonia com o coração do Papa Francisco, represente uma grande contribuição para a Amazônia, para a Igreja no Brasil e no mundo. (…) O Sínodo da Amazônia, buscando novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral, toca tudo o que a Igreja precisa para sair da inércia, ilumina todos os pontos onde existem sombras e dará a possibilidade de um impulso novo”, disse.
O Sínodo para Amazônia é uma resposta do papa Francisco à realidade da Pan-Amazônia. De acordo ele, “o objetivo principal desta convocação é identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta. Que os novos Santos intercedam por este evento eclesial para que, no respeito da beleza da Criação, todos os povos da terra louvem a Deus, Senhor do universo, e por Ele iluminados, percorram caminhos de justiça e de paz”.
O Sínodo será realizado no Vaticano entre os dias 06 e 27 de outubro deste ano.

Compartilhe: