domingo, 18 de junho de 2017

Artigos

Asma: entenda as particularidades dessa doença respiratória

Ácaros são responsáveis por 90% de todas as manifestações de alergia respiratória no Brasil, segundo Associação Brasileira de Asmáticos.
 
A asma é uma doença crônica das vias respiratórias que pode afetar crianças e adultos e surge devido à inflamação e estreitamento dos brônquios. Genética, pode aparecer a qualquer momento da vida e por diversos fatores, porém,  as alergias respiratórias são a causa mais frequente das crises asmáticas. Estima-se que 90% das manifestações alérgicas sejam causadas por hipersensibilidade a poeira e ácaros, pelos de animais, restos de insetos, mofos e pólens, o que torna imprescindível mudanças no ambiente de convívio para tratamento e controle das crises. Além do controle ambiental é fundamental o uso de medicamentos para melhora da inflamação, que é a causa da doença.
 “As causas da asma variam de pessoa a pessoa. Gripes e resfriados, fumaças que irritem as vias aéreas, mudanças do tempo, exercícios físicos e fatores emocionais também são fatores desencadeantes da asma. “É importante procurar as causas e tipo de crises e, se possível, afastá-las, para controlar a asma” explica a Dra. Zuleid Dantas Linhares Mattar. – CRM SP 48634, da Associação Brasileira de Asmáticos (ABRA-SP). 
 De acordo com a Dra. Zuleid existem três tipos principais de crises asmáticas: 
 
LEVE: com sintomas discretos como tosse seca, pouco cansaço e sensação de aperto no peito; 
 
MODERADA: quando os sintomas passam a ser mais preocupantes e surge falta de ar, fadiga, cansaço e chiado; a respiração fica mais rápida que o usual e existe prejuízo de sono atividades diárias. 
 GRAVE: causam falta de ar intensa, respiração encurtada e ofegante, suores, temperatura baixa, cansaço intenso, dificuldade para falar, caminhar e se alimentar.
 
 “A chave do controle da asma é a educação do paciente e seus familiares para que possam reconhecer a doença, tornando-se, assim parceiros efetivos do médico no seu tratamento. Sem entender bem o processo, a tendência do paciente  é tratar somente as crises,  que podem ser evitadas. A ideia é contribuir para a melhora na qualidade de vida para que os pacientes asmáticos possam desfrutar a vida de forma normal”, finaliza a Dra. Zuleid.

Deixe um Comentário





Compartilhe: