segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Artigos

Alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração

A irritação em nossos pensamentos e ações demonstra a fragilidade no amar, a impaciência no esperar e a fraqueza no crer. Santo Inácio de Loyola nos aconselha: “Confie em Deus como se tudo dependesse exclusivamente Dele e, ao mesmo tempo, trabalhe como se tudo dependesse exclusivamente de ti”.
Diante das dificuldades da vida, muitas pessoas, seja pelo choque de perderem o seu ganha-pão ou o sustento de sua família, seja porque o tempo está passando e as contas começam a bater em sua porta, ou por doenças e diversos outros motivos se veem assim: desesperadas. E,às vezes, se tornam agressivas e até violentas diante da falta de perspectiva. Há ainda quem se entregue ao desânimo, somente esperando o momento de o barco afundar.
Não! Este não é o caminho que Deus nos ensinou! Diante das dificuldades, quando tudo parece dar errado e as portas insistirem em permanecer fechadas, nos lembremos desta passagem que São Paulo escreve na Carta aos Romanos: “Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração” (Cf. Rm 12,12).
O desespero é fruto da perda de uma das virtudes importantes na vida da pessoa: A esperança. Uma pessoa madura na fé é uma pessoa que crê, ama e espera. Mesmo sofrendo é preciso continuar a lutar acreditando em dias melhores. Trabalhemos a nossa esperança na espiritualidade e na oração como nos sugere São Paulo e Santo Inácio, este é o caminho. Confiemos em Deus e trabalhemos para a edificação de seu reino e sua vontade. Sejamos sinais de Esperança.

Daniel Canevarollo
Seminarista

Compartilhe: